DESTINOS

Pantanal: quando ir, como chegar, hotéis, passeios e muito mais

Atualizado em junho de 2019

Esqueça o medo, ande a cavalo e gerencie o gado como um verdadeiro fazendeiro em uma fazenda no Pantanal. Ou siga a longa tradição de pesca e cruze centenas de rios e afluentes em busca de piranhas, douradas, pacus e mais de 250 espécies de peixes. O Pantanal com seus períodos de seca ou inundação é o responsável por aqui – afinal, com 210 mil km², é uma das maiores várzeas do mundo, dividida em norte e sul.

Isso vai determinar o calendário turístico, com mais viagens por mar ou por terra (em parte dos 145 km do Transpantaneira perfeito para descobrir a paisagem da região). Tudo na região é enriquecido por uma multiplicidade de biodiversidade, uma festa para os sentidos. Juntas, as espécies de mamíferos, pássaros, peixes e répteis ultrapassam mil e o maior ícone entre eles é a onça-pintada. Essa fauna habita paisagens com trechos de floresta amazônica, caatinga, cerrado, pântanos e mata atlântica. Perfeito para um safári fotográfico, não é?

O QUE FAZER

Para conhecer bem o Pantanal, quem ama a pesca dedica-se aos barcos do hotel. Se você quiser ver animais, pode fazer um ecoturismo sem pressa e pernoitar em uma das fazendas, que geralmente têm pensão completa e organizar passeios. Há Trilhas, safaris fotográficos, observar pássaros é Passeios de barco e a cavalo (ou o Dia dos Agricultores). Essa é a essência do Pantanal. A pesca atrai pessoas que passam dias na água em barcos de hotéis. Também existe uma opção Uso diário em hotéis de ecoturismo.

Algumas pousadas também realizam diversas atividades agrícolas com pedestres. dentro Miranda (MS), 1 Fazenda São Francisco use o dia com várias atividades. No norte do Pantanal é possível visitá-los Parque Nacional Pantanal Mato-Grossense (A entrada é gratuita, mas é necessária uma autorização de visita em [email protected]) No sul, cestos, potes e potes de barro podem ser adquiridos Centro de referência para cultura terra/.Museu Indiano, dentro Mirandae cobrir todos com calma Parque de rua, perto Corumbá.

Para facilitar a consulta, usaremos o Pantanal dentro Norte ((Barão de melgaço, Cáceres é Pocone) é No ((Aquidauana, Corumbá é Miranda)

CALÇAS DO NORTE

Quando devo ir

A chuva e a altitude determinam os períodos de seca, vazante e fluxo na área e variam a cada ano – verifique com seu hotel antes de ir. Geralmente chove muito entre dezembro e fevereiro. As primeiras enchentes no Pantanal norte, a partir de fevereiro ou março, e a água começarão a diminuir em um ou dois meses.

COMO CHEGAR LÁ

Os voos das capitais chegam aos aeroportos de Cuiabá e Campo Grande. De Cuiabá, pegue a MT-060 até Poconé (104 km), a MT-040 até Barão de Melgaço (111 km) e a BR-070 até Cáceres (215 km). Os ônibus partem da estação de ônibus local para destinos como Consórcio de transporte metropolitano (0800-646-2544) que vão para Poconé, 2h45 de viagens, cinco saídas diárias e Barão de Melgaço, 3h30 de viagens, duas saídas diárias. A rua Juina é Roderotas Eles fazem a ligação entre Cuiabá e Cáceres em viagens de três horas (Juína) a cinco horas (Roderotas).

COMO DIRIGIR

Negocie o transporte de carro, barco ou avião ao fazer reservas em hotéis mais remotos. Se a opção for de carro, cuidado com os períodos de chuva, que são mais frequentes entre outubro e março: apenas veículos 4 × 4 atacam o pântano.

ESTRADAS DO PANTANALE – TRANSPANTANEIRA

No projeto original da rodovia, sua extensão de quase 400 km cruzaria e conectaria o Pantanal Poconé (MT) uma Corumbá (MS). Mas a obra acabou no fim da estrada Port Jofre, às margens do Rio Cuiabá. São apenas 2 km de estradas pavimentadas e 143 km de cascalho e terra cortados por mais de 120 pontes (31 em concreto, o restante em madeira). São campos abertos, matas e aterros que retêm as enchentes e constituem verdadeiros refúgios para crocodilos, capivaras, tuiuiús e veados. Caminhar cedo (entre 5h e 8h) ou depois das 17h faz toda a diferença: os pássaros pousam nas árvores e outros animais aparecem com mais frequência. As pousadas que o restaurante normalmente abre para não clientes concentram-se nos primeiros 65 km de Poconé. Na última parte o caminho fica deserto e as chances de avistar onças-pintadas, por exemplo, aumentam, principalmente nos trechos próximos ao rio Cuiabá. Os carros particulares só funcionam bem durante a estação seca, entre abril e setembro; Durante a estação das chuvas, até o 4 × 4 pode ter problemas. É importante sair de Poconé com tanque cheio e pneu sobressalente, pois não há posto de gasolina.

UM DIA PERFEITO

O principal programa desse trecho do Pantanal é ficar Poconeao amanhecer e percorrer os 143 km de TranspantaneiraPara ver crocodilos ao longo do rio e bandos de pássaros. Se pretende, também pode ir de barco até o hotel Araras Eco Lodge.

ONDE DORMIR

Existem três tipos de hospedagem no Pantanal. Os destinados a ecoturistas geralmente incluem refeições e, em alguns casos, passeios de um dia. Os hotéis de pesca são mais simples e na maioria dos casos incluem barcos e cavaleiros na tarifa – durante o Pirakema (outubro a fevereiro), quando a pesca é proibida, eles são dados aos ecoturistas. Nos barcos do hotel você dormirá em cabines com camas e refeições incluídas no pacote.

Alguns hotéis de ecoturismo promovem melhores mergulhos no Pantanal. São fazendas onde a proximidade da flora e fauna e o atendimento domiciliar fazem a diferença. Os bons exemplos são aqueles Pousada Araras Pantanal Eco Lodge, dentro Pocone está em Pousada do Rio Mutum, dentro Barão de melgaço

Para pescadores que Recanto do Dourado, dentro Cáceres isso é tudo Porto Jofre Pantanal, dentro Port Jofre No final da Transpantaneira há boas opções de hotéis enquanto o barco do hotel Lenda pantaneiraO que você diria Cáceres Navegue pelo Rio Paraguai e é o mais estruturado da região.

ONDE COMER

Ambientes simples, atendimento familiar e comida caseira são comuns aqui. O peixe predomina no cardápio, mas a carne bovina não é difícil de encontrar. Pertence aos restaurantes mais tradicionais Kaskata Flutuanteem um navio ancorado no rio Paraguai, em Cáceres.

Procure aqui alojamento em Barão de Melgaço

Compre aqui alojamento em Cáceres

Encontre alojamento em Poconé aqui

CALÇAS DO SUL

Quando devo ir

Ao contrário da parte norte, a água do Pantanal Sul começa a subir em maio. A época mais provável para usar estradas secas e transitáveis ​​é entre julho e setembro.

COMO CHEGAR LÁ

De Campo Grande, pegue a BR-262 até Aquidauana (146 km), Miranda (218 km) e Corumbá (441 km). Saia da estação rodoviária da cidade Viação Andorinha atende os três destinos (Aquidauana, com duas horas de viagem, uma saída por dia; Miranda, três horas e meia, seis saídas por dia; e Corumbá, uma viagem de sete horas, 11 saídas). O Aeroporto de Corumbá recebe voo de Campo Grande às segundas, quartas e sextas-feiras, operado pela azul – mas com três paradas / conexões, a viagem dura cerca de nove horas, o que é mais do que uma viagem de ônibus.

COMO DIRIGIR

Negocie o transporte de carro, barco ou avião ao fazer reservas em hotéis mais distantes. Se a opção for de carro, cuidado com os períodos de chuva, que são mais frequentes entre outubro e março: apenas veículos 4 × 4 atacam o pântano.

PANTANALE ROUTES – PANTANALE ROAD PARK

Foi inaugurada no final do século 19 e tem corredor mais estreito que a Transpantaneira – aqui é mais difícil ver os animais nas margens. Você está a 120 km de distância, com muitas pontes de madeira conectando a região A lâmpada, dentro Corumbápara BR-262 no momento de Buraco das piranhas. Viaje de carro apenas durante a estação seca, entre julho e setembro. Na maré alta, a estrada se transforma em um rio e pode ser literalmente percorrida de barco. Além da oportunidade de observar diferentes espécies de pássaros, ao longo do caminho também existem cenários como o maciço de Urucum. No km 68 há uma travessia de balsa no rio Paraguai no distrito Porto de Mangáe a famosa curva do leque. De lá, são 51km de terreno até a BR-262, onde ficam os hotéis. O único posto de gasolina está em Eu venho da lontra (8 km do Buraco das Piranhas).

UM DIA PERFEITO

Planeje um dia de uso em um hotel de ecoturismo em Aquidauanaonde fazendas gostam Aguapé é Pequi, O que isso faz safari fotográfico até Montado. Antes de ir para casa, pegue um pacu ou uma pintura no centro do restaurante A casa grande.

ONDE DORMIR

Para ver os tipos de hospedagem no Pantanal, veja o Pantanal Norte acima. Entre os hotéis das fazendas estão os Retiro na ilha isso é tudo Refúgio ecológico Caiman, dentro Miranda, 1 Fazenda Pequi, dentro Aquidauana está em Pousada Xaraés e na Estrada-Parque, a 135 km da Corumbá. Nesta última freguesia existem bons hotéis para pescadores como este. Lontra do Pantanal, às margens do Rio Miranda, e os barcos do hotel que navegam o Rio Paraguai em busca das 250 espécies de peixes do Pantanal: com 26 cabanas Calypso é o maior navio

ONDE COMER

Receitas pantaneiras podem ser experimentadas nas acomodações utilizadas diariamente, incluindo o almoço. O mais estruturado para este serviço é Hotel Passo do Lontra Parque, na Estrada-Parque, a 120 km de Corumbá. Sem centro Aquidauana, Restaurante A casa grande serve pratos com pacu, pintado e tambaqui.

COMIDA TÍPICA

Peixe Pantanal – Mais de 250 espécies estão listadas, mas os peixes comidos à mesa não ultrapassam dez. Está presente em quase todos os menus pinturaCom carne deliciosa, parece grelhada em filés, espetos e mojica – uma caldeirada com cubos de peixe e mandioca cozida. É igualmente delicioso acompanhar Possui carne gordurosa semelhante a espinhas. A receita de amostra é a costela assada conhecida como ventrecha.

Popularmente chamado de pêra Piraputanga tem polpa avermelhada quando cozido. OU Dourado, com uma população pequena, pouco aparece na culinária local. Menos nobre, desconfiado curimbatá eles são mais difíceis de encontrar. Entre os sabores inusitados, o cardápio do Pantanal traz os Caldo de piranha. Durante o período Pirakem (janeiro / fevereiro e novembro / dezembro), a pesca é proibida e os restaurantes servem apenas peixes congelados ou cultivados.

Onde devemos comer – Especificado em hotéis, pousadas e restaurantes. Os peixes também podem ser encontrados em lojas especializadas em Bonito, Campo Grande e Cuiabá.

Pesquise aqui acomodação em Aquidauana

Encontre alojamento em Corumbá aqui

Pesquise aqui acomodação em Miranda

Leia tudo sobre o Pantanal

Tudo sobre destinos de ecoturismo

Você também pode estar interessado em estes posts relacionados:

Ana
Ana

Utilizamos cookies para melhorar a experiência do utilizador. Seleccione aceitar para continuar a navegação. Política de cookies

Ir para cima