12422596515 98dd241fb7 o

Mariana | Viagem e Turismo

Página? ˅: http://mariana.org.br

População: 55.353 habitantes

DDD: 31

Estado: Minas Gerais

Distância de outras cidades: Ouro Preto, 15 km, Ponte Nova, 67 km, Belo Horizonte, 116 km, Barbacena, 141 km, Rio de Janeiro, 411 km, São Paulo, 697 km

Foi a primeira aldeia de Minas Gerais, a primeira capital do estado e a cidade mais rica do ciclo do ouro. Hora extra, Mariana Espaço perdido para Ouro Preto, mas ainda atrai turistas graças às casas coloniais, igrejas e artesãos. Para contratar guias, entre em contato com a Agturb, filial local da Associação Brasileira de Guias no Terminal Turístico (Praça Tancredo Neves, s / nº; 31 / 3557-1158; todos os dias).

COMO CHEGAR LÁ

Seja da capital Minas Gerais ou Rio de JaneiroO trajeto passa pela BR-040. De quem vem Belo Horizonte Pegue a rodovia até a Lagoa dos Ingleses, onde começa a Rodovia dos Inconfidentes (BR-356). Em um percurso muito sinuoso pela serra, a rodovia passa por Itabirito e Ouro Preto antes de chegar a Mariana. Passando pelo Rio de Janeiro, o motorista deve seguir pela BR-040 até Conselheiro Lafaiete. De lá, pegue a MG-129 que termina e cruza em Ouro Preto ouro Branco.

COMO DIRIGIR

Conhecer os principais atrativos de Mariana não exige nenhuma dificuldade. O melhor é deixar o carro e passear pelo centro histórico. Pegue o carro para saber mais Igreja Basílica de São Pedro dos Clérigos, na parte alta do centro histórico, e Passagem da mina de ouro, na saída de Ouro Preto.

ONDE COMER

Cozinha típica – Podemos dizer que toda receita mineira tem um certo sabor da história: algumas remontam à era dos escravos, outras do ciclo do ouro, todas cheirando a influências indígenas, portuguesas e africanas. O feijão tropeiro, mistura de feijão cozido, farinha de mandioca e linguiça, era a base da alimentação dos tropeiros, que carregavam suas mercadorias em burros. O frango caipira com quiabo e angu, herança indígena, servia para alimentar os escravos. A atual lista de iguarias é quase infinita: tutu de feijão, frango com molho pardo (feito com sangue de pássaro), frango com ora-pro-nobis (folha típica de videira) e frango com quiabo (geralmente refogado na assadeira). Os acompanhamentos clássicos são crackle (pele de porco frita), couve e angu (mistura de fubá com água). O repolho de bambu é ideal para dias frios. É composto por caldo de carne engrossado com fubá e contém repolho picado, ovos e linguiça. As sobremesas caseiras (leite, goiaba, abóbora ou mamão) costumam vir acompanhadas de uma rodela de ricota.

Conheça os restaurantes indicados no GUIA QUATRO RODAS


Publicado

em

por

Etiquetas:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *